ESTUDO DO EFEITO CICATRIZANTE DA COBRINA (Tabernaemontana catharinensis) EM FERIDAS CUTÂNEAS
Autor: Rodrigo josé Freddo



De acordo com Dealey (1996), ferida é qualquer lesão que leve a uma descontinuidade cutânea, e existem várias causas para isso, as mais freqüentes são: o trauma (mecânismo, físico ou químico), a isquemia, a pressão no local e a cirurgia. Após ocorrer a lesão de um tecido iniciam-se imediatamente fenômenos fisiológicos para o restabelecimento da integridade dos tecidos (POTTER; PERRY, 2003), porém, muitas vezes este processo fisiológico é lento e doloroso, necessitando de intervenções.

Desde os primórdios, o homem tenta interferir nesse processo, procurando diminuir o seu período e buscando melhores resultados, quer estético quer funcionais. Neste processo evolutivo as plantas obtiveram lugar de destaque. A utilização de plantas com fins medicinais, conhecida atualmente como fitoterapia, durante vários séculos constituiu a base terapêutica da prática médica. A partir do século XIX, com o progresso da química, as moléculas ativas foram extraídas das plantas e reproduzidas artificialmente, o que, somado ao desenvolvimento da indústria farmacêutica, levou a maioria da população a substituir progressivamente as plantas in natura pelas drogas, não por ineficiência das primeiras, mas, principalmente, pela maior oferta dos medicamentos sintéticos que, pela comodidade, foram mais aceitos pelas populações, principalmente dos centros urbanos maiores(Branco Neto, et al, 2006).

Dentre as plantas de grande uso popular encontra-se a cobrina, que tem como nome científico Tabernaemontana Catharinensis.

No Brasil, a Cobrina é uma planta comum da vegetaçãodo sul do Brasil, Uruguai e Paraguai, segundo estudos realizados ela apresenta atividade antitumoral, antiinflamatória e analgésica (SOARES 2007), esta espécie é tambémmuito utilizada pela comunidade rural, a qual faz uso da casca da raiz da planta que é aplicada no local de picadas de animais peçonhentos acreditando-se ter poder de neutralizar o veneno do animal (BATINA, et al., 2000).

Levando em consideração a pouca quantidade de materiais referentes a planta Tabernaemontana Catharinensis encontrado na literatura, julgou-se oportuna a realização de estudo experimental que pretende avaliar, a possibilidade de aceleração dos eventos da cicatrização em feridas cirúrgicas cutâneas realizadas em ratos, através da utilização desta planta.